GUSTAVO MIQUELIN FERNANDES

Últimos comentários

Qual a referencia desse poema?

31/03/2016 @ 16:50:55
por


Estou fazendo um trabalho sobre Linguagens ...

17/03/2015 @ 18:21:55
por marisety


Prezado Gustavo: muito obrigado por compartilhar ...

17/07/2014 @ 17:31:55
por Marcus Boeira


Basta que os bons se omitam ...

07/04/2014 @ 14:19:42
por Angelo


Lindo! O texto.

17/02/2014 @ 21:56:09
por


Calendário

Fevereiro 2018
DomSegTerQuaQuiSexSab
 << <Set 2018> >>
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728   

Quem está conectado?

Membro: 0
Visitantes: 2

Anúncio

rss Sindicação

Escolha um tema



Visualização dos artigos postados: Fevereiro 2018

Ter filhos

 

Resultado de imagem para filhos

 

 

Gustavo Miquelin Fernandes


Escrevo este texto sob uma estranha emoção.

Pensando a contradição existente entre ser pai e ainda não sê-lo.

Entre amar uma pessoa que não se conhece e nunca se viu.

Fazendo estripulias mentais, tentando adivinhar o tom da voz de uma menina que sequer balbuciou alguma palavra.

Ficar ansioso e já estremecer quando se achar que a  bichinha parou de respirar no bercinho ao lado de seus companheirinhos unicórnios.

Alegre, com alguma antecipação, pela revelação da leitura do termômetro, de que sua febre baixou um risquinho.

Falo, ainda, como um pai inexperiente, jejuno na arte de trocar fraldas e untar drobrinhas assadas, mas já com a flagrante emoção de ter certeza que sentirei as felicidades, os medos e agruras de quem terá a chance de ter sob seus braços um pequeno fruto do amor dos pais, do amor da vida...

Do amor de Deus.   

Te espero, meu amor.

 

26 Fev 2018
Admin · 509 vistos · 0 comentários